Alimentação complementar: quando começar?

Fonte: imagem da internet

Apesar da polêmica que ainda existe a respeito do aleitamento materno exclusivo, os nossos bebês não necessitam de nada além do leite materno até os seis meses de idade, nem mesmo água, chás ou sucos. Isso porque o leite materno possui a quantidade de nutrientes e água suficiente para as necessidades deles.
A partir dos seis meses de idade, a introdução de novos alimentos deve ser iniciada, pois é nesta fase que o sistema digestivo está maduro o suficiente para metabolizar os nutrientes advindos dos alimentos.
Então, como dar este novo passo na alimentação dos pequenos? Não se assustem, não tem nada de complicado! Com as dicas a seguir, pretendo que vocês fiquem tranquilas (os) e confiantes para revelarem o mundo mágico dos alimentos aos seus lindos bebês.
- A introdução começa de forma bem lenta e gradual mesmo, não se preocupem! No começo, é comum que os bebês rejeitem as ofertas, pois tudo é novidade para eles, desde os alimentos, até os talheres.
- Não deixem de amamentar no peito sempre que seus pequenos tiverem vontade. Até os dois anos de idade, o leite materno é de livre demanda, pois ele continua nutrindo-os e protegendo-os contra doenças.
- Procurem não substituir o horário das papas salgadas pelo leite materno, pois os bebês precisam se acostumar com os alimentos novos. Mas, não deixe de amamentar caso perceba que eles ainda estejam com fome.
- As refeições devem ser um momento de prazer, por isso não apresse e não force as crianças. Entenda que eles brincam com vocês, no horário das refeições também, mas que os alimentos devem ser consumidos! A brincadeira não deve se sobrepor à alimentação, mas ela pode existir junto.
- Separem a refeição dos bebês em um prato diferente do prato de vocês, para assim verificar a quantidade que eles estão consumindo realmente.
- Lembre-se que ao se sentarem à mesa com a criança, o consumo de alimentos de vocês, mamães e papais, influenciará seus filhos! Portanto, escolham bem seus alimentos, tanto para as suas saúdes, quanto para as deles!
- Ofereça os alimentos de maneira regular, com intervalos fixos entre uma refeição e outra, mas não insista de forma a forçar a alimentação, respeite o apetite deles.
- Com certeza, algum alimento (ou vários) será recusado pelo seu bebê, mas não deixe de oferecer de novo! Estudos comprovam que as crianças necessitam experimentá-los de 8 a 10 vezes, pois isto facilita sua aceitação. Mas, façam essas tentativas em dias diferentes, em dias intercalados.
- Procurem, sempre, oferecer os alimentos da forma mais natural possível como frutas in natura, sem adição de açúcar. Evitem alimentos industrializados como iogurtes, salgadinhos, doces, sucos e refrigerantes.
- Entre as refeições, ofereça água tratada, filtrada ou fervida.
- O mel é um alimento contra-indicado para crianças menores de 1 ano, a fim de prevenir a ingestão da bactéria que causa o botulismo.
- Lavem bem as mãos, com água e sabão, os utensílios domésticos e as superfícies para a preparação e oferecimento dos alimentos. Todos os tubérculos, hortaliças e frutas devem ser lavados em água corrente tratada, filtrada ou fervida, antes de serem descascadas. Os alimentos devem ser servidos, preferencialmente, logo após o preparo e guardados em vasilhas limpas, secas, tampadas, na geladeira.

Bebês COM aleitamento materno devem seguir o esquema a seguir.
Aos 6 meses
Aos 7 meses
Aos 12 meses
Leite materno com quantidade livre
Leite materno com quantidade livre
Leite materno +
fruta ou cereal
Papa de fruta
Papa de fruta
Fruta
Papa salgada
Papa salgada
Refeição igual a da família
Papa de fruta
Papa de fruta
Fruta ou cereal
Leite materno com quantidade livre
Papa salgada
Refeição igual a da família
OBS: Aos 8 meses, a alimentação já deve ser iniciada igualmente a da família, desde que não se utilize temperos industrializados, excesso de sal, pimenta, óleo e açúcar, bem como alimentos embutidos como bacon, linguiça, entre outros. Para temperar, use alho, cebola e ervas frescas.
               
         - Para a papa salgada, os alimentos salgados devem ser cozidos o suficiente para ficarem bem macios, a fim de que possam ser amassados com o garfo no prato, pois desde o princípio, as papas devem ser espessas. Isso auxilia no aprendizado da mastigação. Sendo assim, não há necessidade de liquidificar os alimentos, nem de peneirar, apenas deixe-os bem esmagadinhos, sem pedaços. Ao longo dos meses, vá modificando a consistência das papas, deixando poucos pedaços pequenos e, assim por diante, até atingir a consistência normal, por volta dos 8 meses. O mesmo vale para as papas de fruta.
- As carnes podem e devem ser ofertadas! Tomem cuidado para deixá-la bem desfiada ou picada, principalmente nas primeiras vezes.
- Ao oferecer mais de um alimento por refeição, produzam-nos separadamente, arrumando em porções diferenciadas no prato. Assim, os bebês irão conhecer o sabor e a textura específicos de cada alimento. Portanto, quando a introdução dos alimentos estiver bem no início, onde o consumo ainda é mínimo, procure fazer a papa de apenas um ou dois alimentos.
- Ofereça alimentos novos todos os dias. Afinal, uma alimentação variada e saudável é colorida! Por exemplo, a cada dia ofereça uma fruta diferente em cada papa. Variando, também, os tubérculos, hortaliças e carnes, diariamente, na papa salgada.

Como fazer uma papa salgada?
A papa salgada completa deve conter um alimento de cada grupo abaixo.


E as quantidades? Acalmem, também darei essa orientação para ficarem tranquilos!
Idade
Quantidade
Aos 6 meses
Iniciar com 2 a 3 colheres de sopa.
Aumentar conforme a aceitação.
Aos 7 meses
2/3 de xícara ou
2/3 de tigela de 250ml
De 9 a 11 meses
3/4 de xícara ou
3/4 de tigela de 250ml
De 12 a 24 meses
1 xícara ou
1 tigela de 250ml


Bebês SEM aleitamento materno devem seguir o esquema a seguir.
OBS: Lembrando que aos 8 meses, a alimentação já deve ser iniciada igualmente a da família, desde que não se utilize temperos industrializados, excesso de sal, pimenta, óleo e açúcar, bem como alimentos embutidos como bacon, linguiça, entre outros. Para temperar, use alho, cebola e ervas frescas.















               

Fonte: Ministério da Saúde – Dez passos para uma alimentação saudável para crianças brasileiras menores de dois anos (2010).
Imagens: Ministério da Saúde – Dez passos para uma alimentação saudável para crianças brasileiras menores de dois anos (2010).